terça-feira, 26 de maio de 2015

Hyundai lança HB20S Impress, limitado a 3 mil unidades



A Hyundai cria mais uma série especial, após a apresentação dos modelos For You e Spicy. Agora, a versão sedan do HB20 1.6 recebe a edição Impress, com pacote mais recheado de equipamentos e opção de câmbio manual de 5 marchas ou automático de 4 velocidades. Serão produzidas 3000 unidades, equipadas com ar-condicionado, direção hidráulica, travas elétricas, bancos de couro perfurados com costuras acinzentadas, volante com regulagem de altura e profundidade, retrovisores elétricos com luzes de seta integradas, sensor de estacionamento traseiro, vidros elétricos nas 4 portas com acionamento um-toque, chave canivete com botões de abertura e fechamento automático dos vidros e acionamento automático dos faróis.




O HB20S Impress herda detalhes das versões mais simples (faróis com máscara negra, ausência de faróis de neblina) e recebe rodas de liga leve de 15” com acabamento diamantado e centro preto, emblema Impress nos para-lamas laterais e maçanetas cromadas. Serão três opções de cores para a carroceria: Preto Onix, Branco Polar (sólidas) e Prata Metal (metálica, por R$ 1095 a mais).


Outro destaque é a central multimídia blueMediaTV, com comandos no volante, tela de 7 polegadas sensível ao toque, TV digital, reprodutor de fotos e vídeos, Bluetooth com agenda e histórico de chamadas do telefone conectado, e entradas USB e auxiliar. A reprodução de imagens da TV digital funciona exclusivamente com o carro parado - andando, apenas o áudio se mantém ativo, por questões de segurança.


O motor 1.6 16v desenvolve 122 cavalos com gasolina e 128 cv com etanol, com torque de 16,0/16,5 kgfm. Seu porta-malas comporta 450 litros. O HB20S Impress chega às concessionárias HMB do Brasil em junho, ao preço de R$ 53 665, com câmbio manual, e R$ 57 225 equipado com câmbio automático. 


segunda-feira, 25 de maio de 2015

Fiat apresenta Uno Furgão e Fiorino linha 2016


A Fiat revela seus utilitários Fiorino e Uno Furgão modelo 2016. Trata-se tão somente da atualização do ano dos veículos e da consequente elevação nos preços de tabela (ou seja, não foi desta vez que os modelos seguiram a reestilização do Uno). O Fiorino, que teve 23 837 unidades emplacadas em 2014, vem equipado com motor 1.4 Flex de 85/88 cavalos e 12,4/12,5 kgfm de torque a 3500 rpm. A capacidade de carga é de 650 quilos, e a capacidade volumétrica do "baú", 3100 litros.


O Uno Furgão possui lugar para duas pessoas e porta-malas adaptado para carga, com capacidade de carga de 400 quilos ou 1000 litros. Este modelo conta com iluminação no compartimento de carga, vidros laterais traseiros escurecidos e revestimento do assoalho em plástico reforçado com fibra de vidro. O motor é 1.0, rendendo 73/75 cavalos e 9,5/9,9 kgfm de torque a 3850 rpm (com gasolina/etanol, respectivamente).


O Fiorino 2016 agora custa R$ 46 580 sem opcionais. As cores sólidas (Branco Banchisa, Preto Vulcano e Vermelho Alpine) estão inclusas no preço, enquanto a Prata Bari (metálica) acrescenta R$ 1331. A lista de opcionais é grande: ar-condicionado com para-brisa degradê (R$ 3933), direção hidráulica (R$ 2567), desembaçador com ar-quente (R$ 430), preparação para som (R$ 353, adiciona dois alto-falantes dianteiros, dois tweeters e antena), Kit Comfort (por R$ 380, traz apoio de pé para o motorista, banco do condutor com regulagem mecânica de altura, espelho no para-sol do passageiro, tecidos exclusivo e volante com regulagem de altura), sensor traseiro de estacionamento (R$ 812), vidros nas portas traseiras (R$ 341), Kit Young (por R$ 292, acresce calotas e para-choques pintados), rádio com entrada USB, leitor de MP3 e WMA, além de função RDS (R$ 206) e os Kits Celebration 1 (R$ 5844 - engloba ar-condicionado, para-brisa degradê, brake light, computador de Bordo (com distância, consumo médio, consumo instantâneo, autonomia, velocidade média e tempo de percurso), conta-giros, direção hidráulica, faróis de neblina. porta-luvas iluminado, predisposição para rádio, assoalho do vão de carga com revestimento, retrovisores externos com comando interno mecânico (!), travas elétricas e vidros elétricos com função um-toque para motorista) e 2 (por R$ 3176, adiciona os itens do Kit Celebration 1, exceto ar-condicionado com para-brisa degradê). Completo, o utilitário atinge R$ 55 580.


Já o Uno Furgão 1.0 2016 parte de R$ 35 580, pintado em Branco Banchisa (cor sólida) ou Prata Bari (metálica). Como opcionais, ar-condicionado e para-brisa degradê (R$ 3933), desembaçador com ar quente (R$ 430), direção hidráulica (R$ 2567), Kit Celebration 3 (por R$ 5717, engloba ar-condicionado, direção hidráulica, travas e vidros elétricos dianteiros), Kit Visibilidade (R$ 687 por desembaçador, lavador e limpador traseiro com acionamento em marcha-a-ré, além de retrovisores externos com comando interno), Kit Elétrico (R$ 824, pelas travas e vidros dianteiros elétricos), Rádio MP3/WMA com RDS e entrada USB (R$ 206), preparação para rádio (R$ 353), comando mecânico dos retrovisores (R$ 226) e volante com regulagem de altura (R$ 113). Os valores são reduzidos para frotistas, micro empresas e produtores rurais, com desconto de acordo com a região do Brasil.


Audi apresenta R8 e-tron piloted driving


A CES chinesa (não, não se trata de uma cópia não-autorizada do evento norte-americano ocorrido no início do ano, e sim da edição asiática da Consumer Eletronics Show, ocorrida na cidade de Shanghai) é o local de apresentação do Audi R8 com propulsão elétrica e condução autônoma. A carroceria recebeu modificações nos para-choques, capô, rodas, spoilers laterais e aerofólio (o coeficiente aerodinâmico é de 0,28; quanto menor o Cx, mais aerodinâmica a carroceria).


Dois motores elétricos traseiros geram 170 kW (o equivalente a 231 cavalos) e 46,9 kgfm de torque. Os números são modestos frente ao R8 movido a gasolina, mas o e-tron acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3,9 segundos, chegando à velocidade máxima de 210 km/h (dependendo do tipo de pneu em uso). A autonomia cresceu bastante em relação ao R8 e-tron anterior: de 215 para 450 quilômetros, em parte pelo aumento da densidade das baterias (de 84 para 154 Wh/quilo). O recurso Combined Charging System permite recarregar as baterias em menos de 2 horas.



Com um novo tipo de scanner de laser, câmeras em diferentes ângulos e sensores ultrassônicos e de radar na frente e na traseira, a unidade de controle central de assistência ao motorista (zFAS) realiza a direção autônoma caso seja requisitado. Este recurso deverá estar presente na futura geração do Audi A8, com lançamento previsto para o segundo semestre de 2015.


Ford Fiesta e EcoSport têm potências reajustadas



Sem alarde, a Ford readequa os propulsores 1.5 e 1.6 de Fiesta e EcoSport para as novas regras de emissões de poluentes estabelecidas pelo Proconve para 2016, o que também alterou as potências destes modelos. Já o torque permanece igual. Confira as mudanças:
  • 1.5 (que equipa o New Fiesta Hatch S): 107 cavalos com gasolina/passa de 111 para 112 cv com etanol
  • 1.6 Sigma TiVCT (que equipa as demais versões do New Fiesta, inclusive o Sedan): 125 cv com gasolina/cai de 130 para 128 cavalos com etanol
  • 1.6 (que equipa os EcoSport SE e FreeStyle): pula de 110 para 111 cavalos com gasolina/sobe de 115 para 117 cv com etanol.


domingo, 24 de maio de 2015

Mercedes apresenta nova linha AMG: C 63 S, S Coupé e AMG GT S


A Mercedes-Benz promoveu para consumidores seletos e jornalistas o AMG Experience no Autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), onde foi apresentada a linha AMG - iniciais compostas pelas letras dos sobrenomes dos engenheiros Hans Werner Aufrecht e Erhard Melcher, que estabeleceram a preparadora em Großaspach (Alemanha) - composta por A 45 AMG (o hatchback mais "hot" da marca), CLA 45 AMG (sedan que lembra um cupê de 4 portas), GLA 45 AMG (utilitário esportivo que virou sensação no País), SLK 55 AMG (roadster de dois lugares), E 63 AMG (sedã de estilo executivo, rival do BMW Série 5), CLS 63 AMG (o primogênito entre os sedans com jeitão de cupê) e SL 63 AMG (o tradicional conversível da montadora), além de três novidades que estão chegando às concessionárias da marca: S 63 AMG Coupé 4MATIC (cupê de luxo baseado no Classe S), AMG GT S (rival direto do Porsche 911, apresentado aos brasileiros pouco após sua revelação mundial) e C 63 S (sedan mais apimentado que o CLA 45 AMG).



O Mercedes-AMG C 63 S denuncia sua voracidade de forma discreta, com seu jeito de C 250 Sport anabolizado (ainda mais porque, na montadora da estrela de três pontas, o estilo dos carros mais esportivos se propaga para as versões mais mansas, como não deixam mentir A 250 e CLA Sport, bem parecidos com as respectivas versões 45 AMG). Mas debaixo do capô de alumínio, o motor é o 4.0 V8 biturbo, de massivos 510 cavalos a 5500 rpm e torque de 71,4 kgfm entre 1750 e 4500 rpm, com assinatura do técnico responsável, injeção direta de gasolina piezelétrica e turbocompressores montados "dentro do V" formado pelos cilindros. 


Esta força, aliada à relação peso/potência de 3,2 quilos por cavalo (ainda que seu peso, de 1730 quilos, seja consideravelmente alto para seu porte), é suficiente para o C 63 S acelerar de 0 a 100 km/h em 4,0 segundos e chegar à velocidade máxima de 290 km/h, limitada eletronicamente. Conforme o modo de transmissão escolhido no AMG DYNAMIC SELECT, o som do motor varia, através de defletor na parte da frente do sistema de escapamento, operado de forma variável. O C 63 S herda do Mercedes-AMG GT não só o motor, como o recurso dos coxins do motor dinâmicos, que se adaptam e modificam sua rigidez de acordo com as condições de rodagem e estilo de condução. 


A transmissão é a AMG SPEEDSHIFT MCT, com sete marchas e seletor de modos: nas posições Sport + e Race, as trocas são mais rápidas e a rotação em ponto morto é aumentada; há também os modos Comfort e Sport, para tocadas mais tranquilas, e a função RACE START, onde a rotação ideal para a partida é estabelecida automaticamente, bastando ao condutor soltar o freio e acelerar forte. A suspensão AMG RIDE CONTROL possui amortecimento regulável de três estágios; o diferencial blocante traseiro reduz o escorregamento da roda interna na curva sem intervenção do freio, o controle de estabilidade traz os estágios ESP ON, ESP SPORT Handling Mode e ESP OFF; além disso, a direção eletromecânica traz assistência variável, de acordo com velocidade, a aceleração lateral momentânea e ao modo de condução selecionado no AMG DYNAMIC SELECT.



O Mercedes-AMG C 63 S traz rodas aro 19'' e pneus 245/35 na dianteira e 265/35 na traseira; os discos dianteiros de freio medem 390 milímetros de diâmetro. O sedan teve as molduras dos para-lamas alargadas em 1,4 centímetro, com dianteira 5,4 cm maior que o Classe C "comum", por conta da maior bitola, da acomodação do motor V8 e de reforços na estrutura da carroceria. A grade possui abertura de "dupla lâmina" e a tampa do porta-malas acomoda um discreto aerofólio.



Abrindo-se a porta, a "tela de partida" acende no quadro de instrumentos, com uma animação do carro piscando os faróis e o logotipo AMG aparecendo no visor. O relógio analógico do painel ostenta a grife IWC, enquanto o painel possui frisos de alumínio e forração ÁRTICO preta com costuras salientes em cinza cristal. O volante traz uma faixa que marca a posição alinhada e o velocímetro marca até 320 km/h.



O preço do Mercedes-AMG C 63 S, que chega em junho em todas as concessionárias da marca, é estipulado em US$ 209 900. Mas, se ainda pairam incertezas sobre as cotações do dólar, a montadora resolveu fixar a taxa de conversão em R$ 2,60. Ou seja, por R$ 545 740 é possível estacioná-lo em sua garagem, contra quase R$ 650 mil caso levássemos em consideração a cotação média diária.


Um dos pontos que traduz o refinamento do S 63 Coupé AMG 4MATIC está nos faróis: 94 cristais Swarovski estão incorporados ao conjunto ótico. O modelo possui motor 5.5 V8 BlueDIRECT com 585 cavalos e 91,8 kgfm de torque (!), acelerando de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos, porém atingindo velocidade máxima de "apenas" 250 km/h, barrados eletronicamente. O preço? US$ 349 900 (R$ 909 740).



Já o Mercedes-AMG GT S, destaque da edição passada do Salão do Automóvel de São Paulo, conta com o motor 4.0 V8 AMG Biturbo com 510 cv nesta versão GT S, aliado a uma carroceria mais curta e leve (1645 kg) em relação ao SLS, proporcionando ótimo desempenho: prova do 0 a 100 km/h cumprida em 3,8 segundos e velocidade máxima de 310 km/h. O modelo mais potente, que será acompanhado do AMG GT "sem S", será oferecido no Brasil por US$ 329 900 (US$ 857 740).


Renault Clio 2016: agora só Expression 4 portas


A Renault limou as versões Authentique 2 e 4 portas da linha 2016 do Clio. Agora, a versão de entrada do compacto produzido desde 1999 é a Expression 4 portas, que custa R$ 31 000 e vem de série com direção hidráulica, alerta sonoro de luzes acesas, desembaçador, limpador e lavador traseiro, preparação para rádio, calotas aro 13'', tecido "Piano Turquesa" (com detalhes azuis), cintos retráteis, airbags frontais, freios ABS, quatro apoios de cabeça reguláveis em altura, para-choques pintados e ar quente. O diferencial externo do Clio Expression são os retrovisores e maçanetas externas na cor da carroceria. O opcional é o "Pack Completo", que inclui o ar-condicionado. Incluindo também a pintura metálica, o Clio chega a custar R$ 35 660.


Vermelho Vivo, Branco Creme e Preto Opaco são tonalidades não-cobradas à parte; o Branco Neige adiciona R$ 400 e as tonalidades Vermelho Fogo, Bege Poivre, Prata Étoile e Cinza Quartz acrescentam R$ 1190 ao preço final. O motor 1.0 16v Hi-Power, bicombustível, gera 77 cavalos com gasolina e 80 cv com etanol, a 5750 rpm.


Dê um like!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...