domingo, 31 de outubro de 2010

Test-drive no Novo Fiat Idea



Que o Fiat Idea necessitava de uma renovação, já sabíamos. E ela ocorreu recentemente: frente e traseira ficaram bem diferentes, além de alterações mais leves nas laterais, no interior, sem contar as novas opções de motores, 1.6 e 1.8 e.TorQ. Será que foi o suficiente? Veremos...

A versão na qual andei foi a 1.6 Essence, motor bastante suave e com melhor rendimento, comparado aos velgos propulsores 1.4 e 1.8 (este último de origem GM). Lançada como linha 2011, a minivan ficou bonita quando vista de frente, pois o conjunto antigo era conservador demais. E tornou-se mais ''proporcional'' ao tamanho do Idea.

As mudanças nas laterais foram poucas - rodas, maçanetas e espelhos retrovisores - mas a impressão é de mudanças maiores.



A traseira ficou estranha com a tampa limpa demais. E as lanternas em LED são bonitas, mas nem impressionam tanto quanto vistas de perto.



O 1.6 é silencioso e bem suficiente no uso urbano. A versão Adventure até estava no showroom, mas a apresentação foi apenas estática. Vale lembrar que a versão aventureira é equipada apenas com motor 1.8 - uma pena, visto que o 1.6 é suficiente para o porte do veículo e poderia garantir um preço mais baixo, com o aumento de vendas do Idea.

Mas há um ''detalhe'' que desagrada no Idea... é o painel, que, apesar de ter ganhado ares de novidades com o novo volante, além de grafismos e tecidos renovados, é o mesmo do anterior: o sistema de som tem teclas curtas e é ruim de usar; as saídas de ar são baixas, sem falar do puxador de porta interno. Mas como toda minivan, o Idea tem diversos mimos e utilidades, como o espelhinho extra e diversos porta-objetos.

O Fiat Idea tem preço inicial de R$ 43 490 - porém com o velho propulsor 1.4.

Avaliação final:

Idea VS. ''Meu carro''
****

Apesar de não fazer meu estilo, é um bom carro, que comporta bem uma família (dependendo de suas caracterísiticas físicas...)

Idea VS. ''Carro do papai''
**

Para ele, o Idea é carro de mamãezinha levar o filho para a escola, não faz o gênero dele. E o susto mesmo veio quando ele soube o preço do modelo completo: R$ 71 355! (Adventure 1.8 com todos os opcionais)

sábado, 30 de outubro de 2010

As fotos do Bugatti Veyron - entrar, nem pensar



Um Bugatti. De verdade. Na vigésima sexta edição do Anhembi, uma das maiores atrações do evento ficou sendo o Veyron, que desde o lançamento é considerado um dos mais inalcancáveis veículos disponíveis para compra.

O modelo EB110 já esteve presente na exposição, porém o Gran Sport (versão levada para o Anhembi) mexeu com a emoção de muita gente.

Porém, assim como alguns Bentley exibidos próximos a ele, o Veyron fica cercado por uma proteção de vidro, onde apenas uma modelo poderia ficar próximo ao supercarro. Assim não vale...

Custando aproximadamente R$ 8 milhões, a surpresa: o Bugatti não será vendido no Brasil. Talvez dentro de dois ou três anos, porém a expectativa é de que o Brasil fique de fora no conjunto de países nos quais o Veyron é vendido.

Foto - Eugênio A. Brito

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Show do Milhão - no Salão



Muitos dos carros presentes no Salão de São Paulo são exclusivíssimos - não raro, limitados a apenas uma unidade. É o caso do Pagani Zonda R acima. O modelo é o mais caro que pode ser comprado no Brasil.

Ele teve apenas 10 unidades produzidas; a que será vendida por aqui custará R$ 10 000 000, valor mais alto do que o de outro carro extraordinário que vinha justamente com a expectativa de ser o mais caro à venda: o Bugatti Veyron.



O Veyron virá custando "apenas" R$ 7 milhões de reais - valor aproximado, que não é divulgado. O modelo de mais de 1000 cavalos foi adaptado ao Brasil, em relação à suspensão e ao abastecimento (o combustível brasileiro tem 20% de etanol).



Além disso, o Bugatti ficou exposto num local que impede o acesso de curiosos.

Perto dos dois, o Koenigsegg CCXR fica baratinho: seis milhões de reais. Mas igualmente impressionante: o tempo de 0 a 100 km/h é de impressionantes 2,8 segundos, sem contar a velocidade máxima, de 415 km/h.



Foto: Ricardo Sant'Anna

Os preços de alguns dos modelos do Salão



O Aston Martin Rapide custa só R$ 965 mil

Muitos dos modelos apresentados no Salão de São Paulo este ano são carros de luxo que são o sonho de muitos. Algumas novidades já têm preço definido aqui no Brasil. Veja quais são:

O Aston Martin Rapide, cupê de quatro portas (e quatro lugares), irá custar, no Brasil, R$ 965 000. Como comparação, o DB9 custa R$ 870 000. Vale a pena.



O motor 6.0 V12 de 470 cavalos é um pouco mais fraco que o propulsor do Panamera Turbo, mas a vantagem é ter exclusividade extrema, com diversos itens de personalização.

Já o pequeno Audi A1 custará R$ 89 700, quase o valor de um A3. O motor 1.4 TFSI de 122 cavalos, e o modelo tem (como todo Audi) LEDs, além rodas aro 16". As entregas começam em fevereiro de 2011.



O utilitário-esportivo BMW X3 vai custar R$ 210 000 na versão 28i, com motor 3.0. Na versão completa 35i com motorização 3.0 bi-turbo com 306 cavalos, o preço salta para R$ 272 000.




O simpático MINI Countryman custará "módicos" R$ 107 700 na versão Cooper 4x2. Com tração nas quatro rodas (versão All-4), são R$ 137 700.

Kia Cerato Hatch é apresentado no Salão de SP


Lembra do Kia Cerato Hatch? Lançado recentemente no exterior, o modelo, no início de 2011, será vendido aqui no Brasil. Mas o modelo é apresentado em primeira mão aos brasileiros no 26º Salão de São Paulo, realizado no Anhembi até o dia 07 de novembro.

O design é de Peter Schreyer, autor das linhas do Audi TT. A frente é a mesma do sedan, porém ainda assim bonita. A traseira é mais interessante que a do Hyundai i30, irmão gêmeo de projeto.

O motor é 1.6 de 126 cavalos, movido apenas a gasolina. O diferencial é o novo câmbio de seis marchas, que pode ser manual ou automático.

Por dentro, mínimas diferenças. O Cerato hatch deve ter preço mais baixo que o i30, como acontece com quase todos os carros Kia em relação aos equivalentes Hyundai.
As fotos são de Murilo Góes (UOL).

Andando no Ford Focus



Sabe todos aqueles excelentes comentários que fazem sobre o Ford Focus? Pois é, agora o Auto REALIDADE também assina embaixo: o sedan e o hatch são superiores aos seus respectivos concorrentes em âmbito geral.



As versões avaliadas foram: hatch 1.6 Sigma Flex GLX, sedan 2.0 Flex GLX e hatch 2.0 Flex Automatic Ghia.



Primeiramente, vale dar uma boa olhada no carro parado. Tudo é fluido, vivo, o que passa a impressão de um carro superior.



Os cromados estão nos pontos certos, e o design não comprometeu o espaço interno. Só uma ressalva: as rodas aro 16’’ da versão básica são mais bonitas que as da versão Ghia, também aro 16’’.

Por dentro, o requinte é visível na presença de materiais semelhantes a alumínio (raios do volante, bordas das saídas de ar, sistema de som) e fibra de carbono (console central).



A versão Ghia avaliada contava com todos os opcionais, inclusive teto solar. Estavam na lista também o computador de bordo (com comandos mal-posicionados), ar-condicionado digital, sistema de som MyConnection da Visteon, câmbio automático, entre outros itens.

Um recurso muito chique é a iluminação do piso quando abrimos a porta. Nem o Fusion oferece isso! Outra novidade no Focus é a possibilidade de ligar o motor sem chave, apertando o botão “Ford POWER” próximo ao porta-copos.



Vamos apertar e ver no que dá?

Aqui vai uma ressalva: o local de colocar a chave (no GLX) foi tampado com uma peça de baixa qualidade no Ghia.

O GLX tem várias peças (maçanetas e carcaças dos retrovisores externos) sem pintura, mas o motor Sigma (o mesmo utilizado no New Fiesta, clique aqui para ver a avaliação dele) é silencioso e entrega boa potência, claro que inferior ao 2.0.



O sistema de som é bacana, mas só os donos de Focus encontrariam a entrada USB dele.



Perdoando de prontidão os fãs de Astra, Golf, Stilo e Vectra GT, o Focus é mais carro. Citroën C4, Hyundai i30 e Subaru Impreza 1.5 podem até agradar outros tipos de público, e até tem pontos onde são melhores do que o Focus. Mas no âmbito geral, o Ford é o melhor.

Avaliação final

Focus VS. “Meu carro”

*****

Meu carro (0 km) ficou parecendo uma lata de ferro perto do Focus.

Focus VS. “Carro do papai”

**

Ele não gostou tanto assim do Focus, prefere o carro dele!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

As melhores matérias do Auto REALIDADE - Parte 02



Onofre Neto (colaborador): "A melhor matéria foi a ida ao Metropolitan para tirar fotos secretas dos novos GM".





















Elzivan (seguidor): "ACHEI MT LEGAL A MATÉRIA DOS TRÊS ACIDENTES DE CARROS CAROS" (clique aqui para vê-la).








Willy Melo: "Achei legal a matéria com a projeção do New Civic 2012, apesar dele não ter ficado daquele jeito ficou sensacional. Valeu Julio!!"

As novidades do estande da Toyota no Salão de São Paulo



A Toyota não é lá uma marca que faz estardalhaço para suas novidades, sempre discretas. Sem novidades na linha, um dos carros que chama mais a atenção é o Corolla cromado, que não tem viabilidade comercial, mas que faria sucesso entre os mais ousados.

Os protótipos, então, dominaram para chamar a atenção do público. Um que poderia ser comercializado no Brasil é o Prius Plug-in Hybrid Concept, que foi apesentado pela primeira vez em 2009, no Salão de Frankfurt daquele ano.



O Prius deve vir mesmo na versão convencional comercializada nos EUA, que usa motor 1.5 a combustão aliado a um propulsor elétrico, custando cerca de R$ 140 000. O protótipo do Salão atende às sugestões de construir um modelo totalmente elétrico.



Outro modelo interessante é o FT-EV (não é o FT-EV II, que foi apresentado este ano). Muito do conceito foi a base utilizada pelo Toyota iQ.



O que decepciona é a exibição do concept Fine-S, mostrado ao mundo em 2003, como a maior novidade. Este esportivo é movido a hidrogênio, só que não inspirou carro nenhum.



O RAV4 está lá, agora em versão 4 X 2, só que sem a leve re-estilização que sofreu em outros mercados. E o único carro realmente novo à venda é o Land Cruiser Prado, com a frente diferente do americano, com especificações do modelo VX-L japonês.



Foto de abertura: Rodrigo Lara

Ford Fusion Hybrid custa R$ 133 900


O Salão de São Paulo começa hoje! Atente às novidades!

Atração da Ford para quem se preocupa com o meio ambiente, o Fusion Hybrid será comercializado a partir do dia 18 de novembro.

O preço do Hybrid ficou apenas um pouco acima do previsto pelo Auto REALIDADE: R$ 133 900. Razoavelmente muito para um modelo com nível de equipamentos equivalente ao do SEL V6 (que custa mais de R$ 30 000 a menos), mas, com sua proposta de economia ao usar um propulsor elétrico em baixas velocidades, ele praticamente não polui e gera gastos menores com combustível, dependendo da utilização do sedan.

Juntos, os motores à gasolina 2.5 e elétrico somam 193 cavalos.

O consumo na cidade é de apenas 17,5 km/l.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Auto REALIDADE responde: autonomia do Fusion Hybrid


O leitor Sheroquento mandou uma dúvida que tinha: qual seria a autonomia de um Fusion híbrido, considerando apenas a força gerada por uma carga de bateria?

O Fusion Hybrid tem tração FWD (nas rodas dianteiras) e possui dois motores: um 2.5 ligado à transmissão e-CVT que gera 156 cavalos a 6 000 rpm. A bateria é do tipo NiMH (hidreto metálico de níquel) e fornece cerca de 35 cavalos, o equivalente a 26 kW.

A autonoima total é de 1126 km, segundo a Ford, só que testes provam que o modelo pode rodar mais: até 2326,6 km!

Já a autonomia apenas das baterias é de 41 milhas na cidade ou 36 na estrada - o equivalente a 65,9 quilômtros na cidade, valor que diminui para 57,6 quilômetros na estrada.

Chevrolet Camaro é vendido por R$ 185 000



A Chevrolet divulga a tabela de preços do Camaro SS, modelo que ressurge baseado no homônimo dos anos 1960 e que passa a ser vendido no Brasil: são R$ 185 000.

O motor 6.2 V8 produz 400 cavalos.



O modelo ganha toda a atenção da filial brasileira, com hotsite e vendas que iniciarão em breve. O Camaro, apesar de simples em relação aos esportivos estrangeiros (especialmente aos europeus), garante muita diversão.



O problema é que o acabamento interno é simples demais, o espaço interno é reduzido... e acabam não valendo tanto a pena, especialmente quando você souber que o modelo tem as peças caríssimas... (o seguro custa aproximadamente R$ 15 000, por exemplo).

Como comparação, o Camaro custa "apenas" US$ 22 680!



O Camaro está no 26º Salão de São Paulo, que já começou, e abre suas portas ao público dia 27 deste mês.

Volkwagen RockeT: lobo em pele de Saveiro



O Salão de São Paulo já começou. Falta apenas ser aberto ao público

As surpresas do Salão de São Paulo começam a aparecer. Um modelo que não foi informado pela VW para a imprensa foi o RockeT, modelo que toma uma Saveiro cabine estendida como base para virar um esportivo.


Ao lado direito, o presidente da VW, Thomas Schmall

A potência do motor não foi divulgada, mas trata-se de um turbo 1.4 com câmbio manual de seis marchas.

O interessante é a caçamba, tampada e protegida por um santantônio. As rodas aro 18'' negras dão um contraste bonito com a pintura branca, assim como as faixas e carcaças dos retrovisores em vermelho.

Fotos: Eugênio A. Brito - UOL

O que este logotipo e 117 cavalos fizeram ao Palio



Consagrado no mercado brasileiro, o Fiat Palio está na sua geração “4,5”, ou seja, recebeu em 2009 um leve face-lift, com a frente do Siena, em cima da quarta geração, apresentada em 2007 (A Fiat entende que re-estilizações feitas numa mesma carroceria são consideradas novas gerações...).

O Palio podia ser equipado com os motores 1.0, 1.4 e 1.8. Este último, de origem GM (equipava Meriva, Montana e família Corsa) sempre foi duramente criticado, seja pelo ruído excessivo ou pelo consumo alto.

A Fiat, porém, adotou em toda a sua linha que utilizava este (velho) propulsor as opções 1.6 e 1.8 E.torQ. Strada e Palio Weekend, por exemplo, adotaram o 1.8. Siena e Palio vão de 1.6.

Os preconceituosos logo pensam que um motor de cilindrada menor irá render menos, e não é o que acontece: a potência do 1.8 GM, de 114 cavalos, é menor que a do motor Fiat, com 117 (sempre com etanol).

O silencio é um destaque, diferente do antigo 1.8, mais áspero. E o tempo de aceleração diminuiu, sem afetar o consumo, que melhorou.



O problema é que o motor é muito bom, só que o carro... Polêmico desde o lançamento, o atual Palio encontra-se envelhecido, com linhas quadradas nas laterais, sem contar a lanterna quadrada e baixa, muito estranha.

Por dentro, as saídas de ar baixas são ruins, a ergonomia está aquém dos concorrentes e o espaço atrás é reduzido.



Você deve estar se perguntando: porque equipar um carro ruim com um ótimo motor? A Fiat fez isso por obrigação, afinal a marca não tem mais permissão de fabricar os motores GM. Para quem não se decidiu e pode esperar, melhor guardar seu dinheiro até agosto de 2011, quando deve ser lançada a nova geração do Fiat Palio.

Avaliação final

Palio VS. “Meu carro”

**

O Palio ficou caro com todos os opcionais que faço questão. E meu carro é novidade...

Palio VS. “Carro do papai”

*

Ele nem olha para carros desse estilo. E as críticas foram pesadas...

domingo, 24 de outubro de 2010

Auto REALIDADE e seu editor...



Não é meio injusto ver todas as matérias do Auto REALIDADE sem saber ao certo com quem se está falando? É...

Eu sou Júlio Max.



Evidentemente sempre gostei de carros e nunca dispenso uma oportunidade de ver um carro ao vivo. Afinal, se fala bem (ou mal) deste ou daquele modelo, e é imprescindível conhecê-lo para emitir um parecer prudente. Nem preciso falar de diversas pessoas que queimam modelos antes mesmo de sua comercialização. Não me deixam mentir o Chevrolet Agile, o Renault Logan, o Fiat Palio...



(Ainda) tenho 16 anos, o que não me permite dirigir. Mas já estou providenciando umas voltinhas na auto-escola...

Vocês certamente vão rir de mim ao saber que sempre uso o cinto de segurança e só o desato quando saio do carro (quando ele está estacionado, ainda o uso, pois tenho medo de colisões por parte de outros carros...). Mas vamos ver quem vai rir após um grave acidente.

É claro que tem coisas que eu nunca vou revelar, como qual é meu carro ou qual é o “carro do papai”. Meu carro? Sim, não posso dirigir, mas ter um carro, posso sim! Ele está nos tramites intermediários de compra.

Já o “carro do papai” é tudo o que pode se esperar de um carro. Ele comprou e diz que só troca por um novo (e olhe lá). Modernoso, esperto nas arrancadas, espaçoso...

Para me informar melhor, compro várias das revistas de automóveis, desde a famosa Quatro Rodas às apoiadoras do tuning Fullpower e CarStereoTuning. Também assisto aos programas de carro Vrum, Auto Esporte e Auto+.



As matérias são (em maioria) editadas do meu notebook, que chamo de “computador primário”. Nele também produzo os gameplays dos jogos de carro que vocês vêem na seção “Opinião dos Games”. As configurações dele são razoáveis: 4 GB de memória RAM, 500 GB de HD e por aí vai...

Diferente de outros blogueiros, que realizam seus trabalhos às escondidas, o Auto REALIDADE sempre encontra o apoio dos meus pais (eles podem dirigir por mim...), do meu irmão Juliano e de vários amigos de escola, seguidores e pessoas de diversas regiões que contribuem com nosso trabalho.

O estilo de música que predomina em minha cabeça é o Dance, Eletronic (e variações), House, Pop, Techno e Trance. Ou seja, o gosto musical de 0,000000000000000000000092345% da população brasileira, porcentagem que chega a zero absoluto entre, por exemplo, meus amigos de escola.



Como vocês viram pelas fotos, sou razoavelmente alto, tenho cerca de 1,80 metro. E magro, a condição ideal para um piloto de teste...

Gosto tanto de falar sobre carros quando desenhar carros nas horas vagas. Não gosto muito de marcas criadas para o modelo, prefiro criar um carro para uma marca já existente. A maioria dos meus projetos é antevisão do futuro, meu desenho para um possível Uno já saiu com traços assimétricos... isso em 2003.

Gostaria muito de conhecer cada um de vocês que garante um acesso a mais ao Auto REALIDADE. Eu me dou ao luxo de não ganhar dinheiro com propagandas, só para ele se manter uma fonte de informação integral, sem preferências e responsável.

Quero agradecer a muita gente. Se esqueci alguém, desculpe...

A todos as pessoas que têm blogs parceiros do Auto REALIDADE: Victor (A Arte do Paint), Guilherme (Auto Projeções), Rafael “Suzae” e Kiko (Bizarrices Automotivas, que chega a ser a primeira fonte de usuário do Auto REALIDADE!), Miguel (Conheça o Mundo dos Carros), Mateus (Blog Automotivo), Pedro (Blog Car 2011), Cristiano (Carros, por Cristiano Lira), Marcos Teixeira, Daniel Pereira, Firmo Lopes, Chris Walker (GrandPrixLive), Bruno (Brunoh Carros) e Bruno do Wecars e Wecmotos, Rafael Gasparoto (Rafa GM), Ana Célia Aragão (Motor Mais) e ao Guilherme Neves, do UNO Design.

Abraço a todos os meus trinta e quatro seguidores! Gostaria de poder encontrar todos vocês pessoalmente!!!

Abraço especial aos amigos da Turma 204, que sempre me aturaram...

E um agradecimento de coração ao Luciano Ferreira Pontes, que contribui para o Auto REALIDADE, com fotos e acessos!

Agradecimento especial ao Onofre Neto, que bolou (junto comigo) uma estratégia para fotografar os modelos Chevrolet em testes!

Mas nenhum agradecimento é tão especial quando o dedicado à Jéssyca Stherllany, que sempre apóia meu trabalho!

Dê um like!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...