terça-feira, 29 de junho de 2010

Opiniões dos títulos da série Need For Speed!



Prepare-se! Em breve, todas as descrições, opiniões, dicas e printscreens dos principais jogos da série Need For Speed!

Need For Speed Underground



Need For Speed Underground 2



Need For Speed Most Wanted



Need For Speed Carbon



Need For Speed ProStreet



E vem mais por aí!

MINI Cooper ganha um face-lift



O MINI atual é a releitura de um clássico que mexe com o coração de muita gente, e teve mudanças quase imperceptíveis para um leigo, na linha 2011. As versões hatch, Cabrio, perua (Clubman) e esportiva (John Cooper Works) tiveram alguns retoques nos para-choques e no conjunto óptico. Toda a linha vai ser vendida na Europa a partir de setembro deste ano.

Os faróis têm design interno novo e as lanternas também ganharam LEDs e nova distribuição de luzes. As rodas também mudaram, para todos os modelos, e o interior recebeu novos revestimentos e acabamentos.



O renovado sistema de entretenimento agora permite conectar-se a Google, Twitter e Facebook, usando o navegador do MINI.

O MINI ganha também um novo motor turbodiesel, com potências de 90 cv ou 112 cv (cavalos). O consumo médio (cidade/estrada) é de 26,3 km/l, emitindo apenas 99 gramas por quilômetro rodado de CO2.



MINI John Cooper Works

Jaguar XF V8 75th Anniversary



O Auto REALIDADE já sabia que a Jaguar estava preparando uma nova versão comemorativa dos 75 anos, além das já apresentadas (XK e XKR), tanto que mencionou isto na matéria de apresentação deste último modelo.

A Jaguar, portanto, outra versão comemorativa, agora do XF (apenas na Austrália, como o XK 75th Anniversary).

O Jaguar XF V8 75th Aniniversary custa US$ 128 900 (Australianos), e ganha novas rodas de 20 '', ponteiras de escapamento especiais, interface de som portátil e placa comemorativa "75 Years" no console central.

Acidente entre ônibus e Renault Mégane



No final da manhã do dia 28 de junho, ocorreu este "leve" acidente entre um Renault Mégane Sedan e um ônibus urbano.



Parece que o amassado da foto abaixo foi decorrente do acidente.



O Renault ficou raspado, mas fora isto nada de grave ocorreu entre os envolvidos.



Entretanto, o trânsito de veículos ficou bastante complicado na região, pois os dois interromperam duas pistas, restando apenas um pequeno desvio à direita.

Fox "de pobre"? Sim



Para quem acha que o VW Fox sempre foi aquele carro bonitinho e que faz a alegria (principalmente) das mulheres, eis as fotos de uma unidade das primeiras séries, vendidas entre 2003 e 2004.



Para baratear o Fox (ele teria que ocupar o lugar do Gol), a Volkswagen o lançou com para-choque preto ou pintado, porém este também era rugoso, ou seja, não era "lustrado".

segunda-feira, 28 de junho de 2010

T.25: o carro do criador do McLaren F1 pode ser brasileiro



O T.25 é um carro que impressiona bastante à primeira vista, principalmente pela pintura fosca, abertura de portas interessante e tamanho bem compacto. O que não surpreende é saber que quem o criou foi o gênio Gordon Murray, que aperfeiçoou modelos de Fórmula 1 e desenvolveu o McLaren F1, esportivo que atingiu o recorde de velocidade mais alta nos anos 1990. O modelo foi criado na Inglaterra, mas poderá não só ser comercializado como também fabricado no Brasil.

Menor que o smart fortwo, o T.25 tem apenas 2,40 m de comprimento, 1,30 m de largura e 1,60 m de altura. Apesar do tamanho, é seguro: tem freios ABS, ESP e controle de tração de série. O T.25 é bem leve, pesando 575 kg, contra 770 kg do smart.

O motor é 1.0 de três cilindros turbocomprimido, com 84 cv. O modelo chega a limitados 145 km/h, e vai de 0 a 100 km/h em 16,2 s. O câmbio é um semi-automático seqüencial de cinco velocidades. O consumo chega a 26,1 km/l.



Assim como no McLaren F1, o motorista dirige no centro do carro, e os dois passageiros se sentam pouco atrás do motorista, um de cada lado.

O modelo tem apenas uma porta, ao estilo dos aviões-caça, que se abrem por inteiro para dar acesso ao interior.

O empresário Eike Batista pretende fabricar no Brasil o T.25 que vinham sendo projetados por Gordon Murray. Huw Owen, diretor executivo da Gordon Murray Design, disse à Car and Driver que virá ao Brasil no início de julho para uma reunião com o empresário brasileiro. No entanto, a EBX, holding do grupo de Eike Batista, nega haver algo de concreto para anunciar.

Audi A1 leiloado por Elton John alcança 420 000 euros



O Audi A1 leiloado pelo cantor inglês Elton John no White Tie and Tiara Ball (pintado por Damien Hirst) foi leiloado por 420 000 euros. O compacto foi apenas um dos itens ofertados pala um levantamento de fundos para o combate da AIDS. O A1 foi vendido juntamente com uma tela do pintor, com 1,8 m de altura, que Hirst criou simultaneamente.

A Audi já colaborou com o leilão de Elton John oito vezes, mas a primeira em que doou um objeto de arte. Este é o primeiro A1 a rodar no Reino Unido, dando valor maior ao modelo, pintado predominantemente de rosa.

domingo, 27 de junho de 2010

Novo Hyundai Azera 2011: veja fotos



A Hyundai já está fazendo propagandas do levemente re-estilizado Azera, agora igual ao modelo vendido na Coreia do Sul.



Os anúncios, veiculados no jornal "Folha de São Paulo", mostram que os farís, lanternas, rodas e outros detalhes mudaram.



Em breve, mais detalhes sobre o Azera 2011.

Será que eu ganho este Agile?



Fui à Canadá Veículos, concessionária da GM por aqui, para participar da promoção "Chevrolet na Mão", aonde você recebe um cartão em forma da "gravata" da Chevrolet com um chip, que dispara caso seja apontado para um dispositivo escondido numa foto do Agile.

A primeira concessionária... deu FAIL no dispositivo! Para não dar viagem perdida, entrei em alguns dos carros disponíveis. Este Corsa 1.4 Econo.Flex ficou interessante, com as rodas do Vectra Elegance.



O Captiva V6 2010 não impressiona mais, e por dentro é conservador, mas tem detalhes interessante e um bom porte, acomodando muito bem os ocupantes.





Que carro é esse...? O Prisma

O Vectra GT tem um painel que não condiz com seu design, com algumas falhas.





Muito é reaproveitado do Astra e Meriva, carros que eu nem entrei, por estarem há muito desatualizados (falando em Meriva, já há a versão 1.8 Easytronic 2011, mostrada no Auto REALIDADE semana passada).

O Agile se faz de carro de luxo ao descer um pouco (dois dedos) o vidro elétrico e ao apresentar um painel digital interessante, mas ainda é um compacto.





Estes mostradores trazem vários recursos interessantes, que entretém o dono.

Após isto, fomos à outra unidade da Canadá e... nada.



Mais sorte da próxima vez...



Novo Classic 2011

sábado, 26 de junho de 2010

História dos Automóveis: Fiat Uno



É inegável que o Auto REALIDADE teria que contar a história do Fiat Uno, um carro simples, mas que fez e faz a alegria de muita gente. Atendendo a (muitos) pedidos, vamos contar em detalhes a trajetória deste bem-sucedido compacto.

Os anos 1980 viram nascer a tendência de veículos globais, ou seja, que atendessem públicos de diversos países. O Ford Escort (1983) era semelhante ao europeu, assim como o Monza (baseado no Opel Ascona, 1982) e o Santana (baseado no Passat Sedan), só para citar alguns exemplos.



O “mundial” da Fiat tornou-se o Uno (acima, um protótipo de 1980).

O compacto desenhado por Giorgetto Giugiaro foi lançado em 1983 na Europa e adaptado para o Brasil, onde começou a ser vendido em 1984.



Uno europeu, com o capô "por cima"

Muita gente estranhou o modelo (causou mais polêmica que o Smart ForTwo): o estepe ficava sob o capô, a traseira era quase vertical, a maçaneta era puxada para cima (versão duas portas) e a frente tinha uma inclinação acentuada.



Logo ganhou o apelido de “bota ortopédica”. Mas logo ele ganhou vários prêmios, inclusive o de Carro do Ano.



Na época, o modelo completo era o CS, que continha até comandos satélites. Veja o comercial:



Para 1985 era lançado o sedan Prêmio, e logo depois a perua Elba e a pick-up Fiorino (esta disponível também na versão Furgão, que resiste até hoje). Os dois modelos familiares tiveram, posteriormente, versão quatro-portas, raras nos anos 1980 em carros "comuns".





Em 1987, surge o esportivo 1.5R, que destacava-se pela cor amarela com a tampa do porta-malas em preto-fosco.



As rodas eram esportivas. Mas esportividade, só na aparência, pois o motor não recebia modificações.



Abaixo, as fotos do modelo europeu, já atualizado.





Com as vendas do Uno caindo aos poucos, a Fiat aproveitou o incentivo fiscal dado aos modelos com motor 1.0 e lançou o Mille (mil, em italiano), que era bem despojado, sendo opcionais o retrovisor direito, bancos reclináveis, apoios de cabeça... O motor era o Fiasa 1050 utilizado pelo Fiat 147, porém “encolhido” para 994,5 cm3.



Para 1991, a frente recebe novo layout, com faróis estreitados, assim como a grade, além de outras peças redesenhadas. Foi lançada, posteriormente, a versão 1.6R, com rack de teto.



Em 1992, chegava o Mille Eletronic, que apesar do nome, não tinha injeção eletrônica, e sim ignição eletrônica (no lugar do “platinado”). O modelo Eletronic tinha também algumas opções de luxo, como ar-condicionado e rodas de liga leve como opcionais.



Para 1994, a Fiat se preparava para a chegada do Corsa e lançou o Mille ELX, tão “luxuoso” quanto o Eletronic, porém já com a nova frente.



O ano de 1994 também viu nascer o Uno Turbo, que tinha motor 1.4 turboalimentado e desbancava modelos maiores e mais esportivos (na época dizia-se até que donos do Vectra GSi tinham que ter atenção, pois um Uno Turbo poderia passar voando por eles).



Em 1996, a Fiat já tramava a morte do (nesta época, apenas) Mille, com a chegada do Palio, que também foi considerado carro mundial. O modelo passou a ser vendido apenas na versão SX a partir daquele ano.



O Prêmio, à esta altura já chamado de Duna (abaixo), deu lugar ao Siena em 1997. A Elba sumiu para ser substituida pela Palio Weekend.



Mas o Mille continuou cativando clientes que necessitavam de um veículo simples.



O Mille SX recebeu uma depenada em 1999, desaparecendo até as calotas, mas no ano 2000, foi lançada a versão Smart, com grade colméia, calotas novas e preço menor.



A Fiat logo aplicou o motor Fire ao Mille, e junto com a mudança veio a grade com o então novo símbolo da Fiat (com a coroa de louros, aplicada pela primeira vez aqui no Brasil no Palio, em 2000), além de peças do irmão que poderia tirá-lo de linha, como os retrovisores, coluna de direção e volante (no caso do Fire).



Em 2004, o Mille passou por uma polêmica re-estilização, que foi feita na dianteira (a grade ficou desproporcional em relação aos faróis) e na traseira (que ficou com um aspecto mais limpo).





O modelo ganhou, em 2005, o motor Fire Flex, seguindo a tendência da metade dos anos 2000, de adotar propulsores capazes de queimar álcool e gasolina, além do para-choque que perdeu os cromados.



Em 2006, a Fiat atende aos pedidos dos aventureiros urbanos e dos que usam o Mille em estradas e lançou a versão Way, com suspensão 4,4 centímetros mais alta, calotas exclusivas e molduras nos para-lamas.



Em 2008, o Mille ganha a versão Economy, com foco voltado na redução do consumo de combustível. Para isso, os pneus são de baixo atrito e há um econômetro junto ao velocímetro.



A versão ganha calotas e rodas diferentes, além de leves mudanças nos para-choques.



O Mille Way ganha o adesivo com o nome da versão na lateral inferior.



Em 2009, começaram os testes do Novo Uno. Cogitava-se chamá-lo de Panda, mas o nome não significa muito aos brasileiros, ao contrário da Europa.



A Fiat criou bastante expectativa sobre o novo modelo, que foi chamado de Novo Uno, mantendo-se o Mille em linha.



O modelo foi apresentado no começo de maio de 2010. Este é o comercial que vocês todos conhecem muito bem.





O modelo foi totalmente remodelado e ganhou os motores 1.0 e 1.4 Fire Evo. O sucesso do modelo foi imenso: as vendas só ficam atrás das do Gol, e há espera de 45 dias pelo modelo...



Uno Ecology

Dê um like!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...